German Lorca: visionário, artista, eterno

Fotógrafo integrou associação de fotógrafos que revolucionou a linguagem visual no país na década de 1940

A cerca de vinte dias de completar seu 99º aniversário, morreu German Lorca, integrante do Foto Cine Clube Bandeirante, associação de fotógrafos que revolucionou o olhar da fotografia no país durante a década de 1940.

Formado em ciências contábeis, aos 27 anos se associou ao Foto Cine Clube Bandeirantes (FCCB), grupo que promoveu tendências na linguagem fotográfica e contava com outros integrantes renomados como Geraldo de Barros (1923-1998), José Yalenti (1895-1967) e Thomaz Farkas (1924-2011).

Em 1952, abriu seu estúdio aos 30 anos na cidade de São Paulo, paisagem recorrente de seus registros fotográficos que captavam a poesia das cenas cotidianas, em especial da região central da cidade. Além de ser um pioneiro na fotografia artística, atuou com grande destaque também na fotografia publicitária.

Lorca, faleceu em São Paulo e deixou filhos, netos e bisnetos, além de um belo legado, eternizado como seus retratos.

A ESPM se orgulha de contar com o privilégio de ter seu filho José Henrique Lorca no quadro docente da instituição, como um herdeiro de seu legado na fotografia publicitária, e presta sua solidariedade aos seus familiares.

Obra “À procura de um emprego”. Foto: German Lorca